Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Responda
Você é Cristão?
Sim
Não
Estou em cima do muro
Ver Resultados

Rating: 2.5/5 (88 votos)

ONLINE
1





 Aplicativo da nossa radio. instale no seu

 smartphone ou tablet. Click na imagem 

 

 Ajudando o Proximo 

 

 

 

 

 

 

 

 

     DEIXA ELE TE AJUDAR

 

 RECOMENDO: LIVRO

    (  EVANGELHO QUE PAULO

        JAMAIS PREGARIA )

     DONWLOAD

 

 

 

 

 

contador de visitas VISITANTES

Flag Counter

 




noticias

Widget gerado por Gospel Prime

musica

Widget gerado por Gospel Prime

Vídeos

Widget gerado por Gospel Prime

Estudos

Widget gerado por Gospel Prime

 


Gadget feito do site Bíblia Online

 

  

 

 

 

 

 

 

Sites

 

Igreja Batista Genesis

 

Defesa do Evangelho 

 

Irmaos.com

 

 

Ministerio Online

Em Defesa do Evangelho

 

 

 

 

Adoradore no Tempo Do Fim

 

 

VOLTAR AO TOPO 

                  



Total de visitas: 27446
Estudos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Está Consumado!

 

 

 

"Quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito" - João 19:30.

 

 

 

Quão terrivelmente estas benditas palavras de Cristo têm sido mal-entendidas, mal-apropriadas e mal-aplicadas! Quantos parecem pensar que, sobre a cruz, o Senhor realizou uma obra que torna desnecessário que os beneficiários dela viva vidas santas sobre a terra. Muitos têm sido enganados com o pensamento de que, até onde diz respeito o se alcançar o céu, não importa como eles andem, desde que eles estejam "descansando sobre a obra consumada de Cristo". Eles podem ser infrutíferos, desonestos, desobedientes, todavia, conquanto que eles repudiem toda justiça própria e tenham fé em Cristo, eles imaginam que estão "eternamente seguros".

 

 

 

Ao redor de todos nós há pessoas que são mundanas, amantes do dinheiro, buscadores-do-prazer, quebradores do Dia do Senhor, mas que pensam que tudo está bem com elas, pois "aceitaram a Cristo como seu Salvador pessoal". Em sua aspiração, conversação e recreação, não há praticamente nada que os diferencie daqueles que não fazem nenhuma profissão de fé. Nem em sua vida familiar ou social há algo, exceto pretensões vazias, para distingui-los dos outros. O temor de Deus não está sobre eles, os mandamentos de Deus não têm autoridade sobre eles, a santidade de Deus não os atrai.

 

 

 

"Está consumado". Quão solene é perceber que estas palavras de Cristo devem ter sido usadas para tranqüilizar milhares com uma falsa paz. Todavia, tal é o caso. Nós temos tido contato próximo com pessoas que não têm nenhuma vida de oração privada, que são egoístas, cobiçosas, desonestas, mas que supõem que um Deus misericordioso fará vistas grossas para tais coisas, desde que eles tenham alguma vez colocado sua confiança no Senhor Jesus. Que horrível perversão da verdade! Que transformação da graça de Deus "em libertinagem"! (Judas 4). Sim, aqueles que agora vivem as vidas mais egoístas e agradáveis à carne, falam sobre sua fé no sangue do Cordeiro, e supõem que estão salvos. Como o diabo os tem enganado!

 

 

 

"Está consumado". Estas benditas palavras significam que Cristo satisfez de tal forma o requerimento da santidade de Deus, que mais nenhuma santidade tem qualquer reivindicação real e premente sobre nós? Deus não o permita pensarmos tal! Até mesmo para o redimido Deus diz: "Sede santos, assim como Eu sou Santo" (1 Pedro 1:6). Cristo "magnificou a lei e a fez honrosa" (Isaías 42:21), para que pudéssemos ficar sem lei? Ele "cumpriu toda justiça" (Mateus 3:15) para comprar para nós uma isenção de amar a Deus com todo o nosso coração e servi-Lo com todas as nossas faculdades? Cristo morreu para assegurar uma divina indulgência, para que pudéssemos viver para agradar a nós mesmos? Muitos parecem pensar assim. Não, o Senhor Jesus deixou ao Seu povo um exemplo para que eles pudessem "seguir (não ignorar) os Seus passos".

 

 

 

"Está consumado". O que está "consumado"? A necessidade dos pecadores se arrependerem? Deveras não. A necessidade de se voltar dos ídolos para Deus? Deveras não. A necessidade de mortificar os meus membros que estão sobre a terra? Deveras não. A necessidade de ser santificado completamente, no espírito, alma e corpo? Deveras não. Cristo não morreu para fazer minha tristeza, meu ódio e o meu empenho contra o pecado desnecessários. Cristo não morreu para me absolver de todas as minhas responsabilidades diante de Deus. Cristo não morreu para que eu pudesse continuar retendo a amizade e comunhão do mundo. Quão extremamente estranho é que alguém possa pensar que Ele tenha feito isso. Todavia, as ações de muitos mostram que esta é a sua idéia.

 

"Está consumado". O que está "consumado"? Os tipos sacrificiais foram consumados, as profecias de Seus sofrimentos foram cumpridas, a obra dada a Ele pelo Pai foi perfeitamente realizada, um fundamento certo foi posto, no qual um Deus justo pode perdoar o mais vil transgressor da lei que jogou as armas de sua guerra contra Ele. Cristo já realizou tudo o que era necessário para que o Espírito Santo viesse e operasse nos corações do Seu povo; convencendo-lhes de sua rebelião, destruindo sua inimizade contra Deus, e produzindo neles um coração amoroso e obediente.

 

 

 

Oh, querido leitor, não cometa engano neste ponto. A "obra consumada de Cristo" não lhe beneficia em nada, se o seu coração nunca foi quebrantado através de uma consciência agonizante de sua pecaminosidade. A "obra consumada de Cristo" não lhe beneficia em nada, a menos que você tenha sido salvo do poder e da poluição do pecado (Mateus 1:21). Ela não lhe beneficia em nada, se você ainda ama o mundo (1 João 2:15). Ela não lhe beneficia em nada, a menos que você seja uma "nova criatura" nEle (2 Coríntios 5:17). Se você valoriza sua alma, examine as Escrituras para ver por si mesmo; não tome nenhuma palavra de homem no lugar disso.

 

 

O que será dos que nunca ouviram?

 

 

Sabemos biblicamente que sem o evangelho não há salvação, mas o que será dos que nunca tiveram aoportunidade de ouvir o evangelho? À exemplo dos esquimós no Alasca, beduínos nos desertos, trogloditas nas cavernas, indígenas nas tribos, os nativos das selvas africanas, os aldeões dos vilarejos asiáticos, os camponeses e ribeirinhos na Amazônia, em fim. O que será dos povos que viveram e ainda vivem nas regiões de extrema inospitalidade, nos confins da terra?

Introdução:

Existem basicamente três teorias acerca do assunto: 1 – Universalismo: Todos os homens serão salvos independente de suas crenças;  2 – Inclusivismo: Alguns homens serão salvos a depender de suas crenças; e 3 – Exclusivismo: Somente os convertidos em Cristo serão salvos. A grande maioria dos cristãos professa a terceira teoria por encontrar justamente em sua abordagem maior respaldo e fundamento nas escrituras.

O que será dos que nunca ouviram o evangelho?

Verdades reveladas nas escrituras para elucidação do assunto:

I.            Sobre o salvador:

  1. Jesus é o único autor da salvação eterna: (Hb 5.9).
  2. Jesus é o único acesso a Deus (Jo 14.6).
  3. Jesus é o único mediador entre Deus e os homens: (I Tm 2.5).
  4. Jesus é o único nome que é salvador da humanidade: (At  4. 12).

Comentário: “Jesus é o único salvador de toda a humanidade, sem Ele definitivamente não há salvação, pois foi o Seu puro sangue e santo sacrifício que nos trouxe a redenção e justificação”.

 

II.            Sobre a salvação:

  1. A salvação pertence a Deus: (Jn 2.9), e não provém dos homens: (Sl 146.3).
  2. A salvação é um dom divino: (Ef 2.8), e não é mérito humano (Ef 2.9).
  3. A salvação é pela Graça: (Ef 2.8), e não pelas obras da lei: (Rm 3.20,28).
  4. A salvação é pela fé: (Gl 2.16), e não por justiça própria: (Tt 3.5).

Comentário: “A salvação não advém de méritos humanos ou comportamentos decorosos, a historia de Cornélio: (At. 10), nos ensina que precisamos ter um encontro com Cristo, caso contrário, pereceremos mesmo sendo religioso, piedoso, temente e caridoso”.

 

III.            Sobre a revelação acerca do conhecimento divino:

  1. Todos os povos obtiveram o conhecimento de Deus: (Rm 1.18 -21).
  2. Todos os povos rejeitaram o conhecimento de Deus: (Rm 1. 21).
  3. Todos os povos deturparam o conhecimento de Deus: (Rm 1.22 -25).
  4. Todos os povos que desprezaram o conhecimento de Deus receberam devida sentença: (Rm 1. 28-32).

Comentário: “Deus sempre se revelou através de toda a sua criação, mas os homens continuamente insistem em desprezarem tal conhecimento preferindo viver conforme seus próprios conceitos, sem se importarem com as devidas conseqüências”.

 

IV.            Sobre a justiça de Deus:

  1. Deus é totalmente justo: (Sl 7.11; 11.7).
  2. Deus julgara o mundo com justa Justiça: (At 17.31).
  3. Deus convencera todos os ímpios de suas impiedades no julgamento divino: (Jd 14,15).
  4. Deus já declarou que todos os homens são indesculpáveis diante da justiça divina: (Rm 1.20).

Comentário: “Diante da justiça divina não há protestos humanos, todos são culpados e serão convencidos dos seus delitos e se conformarão perante a justa punição, pois perante o tribunal divino todo homem é indesculpável”.

 

V.            Sobre o juízo divino:

  1. Os que não conhecem a Deus padecerão na perdição eterna: (II Ts 1.7-9);
  2. Os que se esquecerem de Deus serão lançados no inferno: (Sl 9.17);
  3. Os que não crêem em Deus já estão condenados no presente: (Jo 3.18).
  4. Os que não crêem em Deus serão condenados no futuro: (Mc 16.16).

Comentário: “A bíblia afirma categoricamente que Deus executará seu juízo sobre todos que ignoraram o conhecimento divino”.

 

VI.            Sobre a responsabilidade dos salvos em Cristo:

  1. Devemos pregar o evangelho, pois fomos aprovados por Deus para tal missão: (I Ts 2.4).
  2. Devemos pregar o evangelho a todas as nações: (Mt 28.19; At 1.8).
  3. Devemos pregar o evangelho a toda criatura: (Mc 16.15).
  4. Devemos pregar o evangelho em todo tempo: (II Tm 4.2).

Comentário: “Aos salvos compete à responsabilidade de anunciar a verdade do reino a todos e em todo tempo”.

 

VII.            Sobre o mundo evangelizado:

  1. O evangelho já alcançou ao mundo: (Cl 1.6).
  2. O evangelho já foi anunciado a toda criatura: (Cl 1.23).
  3. O evangelho foi anunciado aos confins da terra: (Rm 10.18).
  4. O evangelho por meio de Cristo é a luz que ilumina todo homem: (Jo 1.9).

Comentário: “Biblicamente falando o evangelho já foi anunciado a todos os povos, infelizmente os ascendentes de determinados povos não transmitiram tal conhecimento para seus descendentes, conforme as tradições orais bastante comuns em todas as culturas e a instrução divina sobre a responsabilidade dos pais para os filhos. (Gn 18.19; Dt 6.6,7; Sl 78. 3,4;  ).

 

VIII.         Sobre as conseqüências de não anunciarmos evangelho:

  1. Se não anunciarmos o evangelho, toda a criação gemerá em suas angustias: (Rm 8.19-22);
  2. Se não anunciarmos o evangelho, os homens perecerão:

a)   Os que nunca ouviram sobre Deus: (Rm 10. 13-15);

b)   Os que nunca conheceram a Deus: (II Ts 1.8);

c)    Os que nunca receberam a lei de Deus: (Rm 2.12-16).

3.   Se não anunciarmos o evangelho, ai de nós, pois descumpriremos nossa obrigação. (I Co 9.16,17).                                         4.   Se não anunciarmos, prestaremos conta do sangue de cada vida: (Ez 3.18,19. Ez 33. 8,9. At 18.6. At 20.25-27).

Comentário: “Fomos comissionados por Deus para” anunciar o evangelho testificando a todos em todo tempo que Cristo é o salvador, caso houvesse uma alternativa de salvação, Deus não nos responsabilizaria pelos que não conheceram o evangelho, não podemos confundir ignorância com inocência, para Deus somos todos culpados.

 

IX.            Sobre a verdadeira vontade de Deus:

  1. Que todos cheguem ao conhecimento da verdade: (I Tm 2.4);
  2. Que todos cheguem ao arrependimento: (At 17.30; II Pe 3.9);
  3. Que os pecadores sejam chamados ao arrependimento: (Lc 5.32; 19.10);
  4. Que o perverso se converta e viva: (Ez 33.11).

Comentário: “É importante frisar que a universalidade da graça do evangelho que não faz acepção de pessoas (Rm 2.11; At 10.34), não pode ser erroneamente confundida com o universalismo da salvação”.

 

Conclusão:

A salvação é uma dádiva divina, exclusivamente concedida por intermédio de Cristo Jesus, por essa razão os missionários estão dispostos a arriscarem suas próprias vidas para anunciar o evangelho até as ultimas fronteiras, pois bem sabe que o evangelho é a única condição de salvação para todos os povos, tribos, raças e nações dessa terra.

“Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão se não há quem pregue? E como pregarão se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. (Rm 10. 13-15)

 

autor

Sidney Osvaldo Ferreira

************************************************************************************************

                                                

Os 10 pastores que respeito e admiro

 

Há alguns dias escrevi um artigo que provocou muitos debates por aqui, mostrando em meu ponto de vista, os 10 pastores que não respeito e não admiro. Na sequência dessa série, destacarei agora aqueles que merecem toda a admiração e respeito devido à forma como tratam o ministério pastoral. Abaixo segue a minha lista.

 

OS 10 PASTORES QUE RESPEITO E ADMIRO:

 

1- O que não é perfeito, mas que busca ser exemplo do rebanho = Esse pastor sabe de suas limitações, sabe que não é melhor do que ninguém, sabe que é um pecador resgatado pelo sangue de Cristo. Ele, porém, sabe também da missão que Deus lhe deu e busca conduzir suas ovelhas no caminho dado pelo Supremo Pastor, sendo, antes de todos, o primeiro a vivenciar a Palavra de Deus em sua vida para testemunhar a outros. Ele tem todo cuidado nessa questão e pode-se ver em sua vida um homem que busca viver o evangelho e não somente falar dele. É humano, tem seus erros, e não faz questão de passar uma imagem de todo poderoso.

 

2- O que faz cultos cristocêntricos = Esse pastor busca glorificar a Cristo nas ministrações que preside. Busca conduzir todas as coisas para que Cristo cresça e todo o resto diminua. Do primeiro ao último minuto de seus cultos busca apresentar a Cristo e conduzir as pessoas a Ele. É sensível ao observar e corrigir coisas que tentam competir com a centralidade de Cristo nos cultos.

 

3- O que não tem medo de pregar a Palavra de Deus = Esse pastor não faz média, antes, entrega a palavra de Deus conforme a Bíblia a revela. Ele não usa de técnicas melodramáticas para tocar o coração dos seus ouvintes. Ele busca antes de tudo, que o Espírito Santo revele a Palavra aos seus ouvintes, conduzindo-os à presença viva de Deus. Sabe que muitas vezes irá desagradar pessoas na sua pregação, mas é fiel às verdades que Deus lhe manda pregar.

 

4- O que não crê que os fins justificam os meios = Esse pastor é totalmente dependente de Deus em seu ministério. Ele conduz a igreja a andar nos caminhos corretos de obediência ao Senhor e não nos caminhos tortuosos que o coração humano propõe e que visam, antes de tudo, resultados que premiam o trabalho realizado. Para ele o mais importante é fazer a vontade de Deus usando os meios dados por Deus.

 

5- O que é obediente a Deus mesmo não vendo resultados palpáveis = Esse pastor gosta de ver os resultados de seu trabalho, porém, não é guiado por esses resultados. É guiado pela obediência e direção de Deus. Mesmo, às vezes, não vendo resultados pontuados pelas pessoas como o ‘sucesso’, continua sendo fiel e o pastor responsável por certo número de ovelhas dadas por Deus. Para ele, cumprir a missão de Deus não é encher a igreja de gente a qualquer custo, mas sim obedecer a Deus e confiar a Ele os resultados do trabalho, seja quais forem.

 

6- O que não faz a si mesmo o “bam-bam-bam” da igreja = Esse pastor sabe fazer suas ovelhas entenderem a diferença entre admiração e bajulação. Ele não aceita ser bajulado e até adorado como se fora mais do que os outros ou até mesmo um quase deus. Coloca-se na posição de servo, tem prazer de trabalhar em equipe e de ver suas ovelhas se desenvolvendo em seus ministérios, e sempre reitera que ele também é ovelha do rebanho de Deus. Não deixa o ego assumir o controle. Ele não é um ídolo dentro de sua igreja.

 

7- O que não explora financeiramente suas ovelhas = Esse pastor não é ignorante, não acredita que as dívidas da igreja são pagas como que por milagre. Ele sabe das possibilidades da sua igreja e não usa ameaças e nem promessas que a Bíblia não faz para que suas ovelhas contribuam com o trabalho. Ele sabe instruir corretamente sua igreja sobre o que a Bíblia diz a respeito das contribuições para o reino de Deus. Não faz dos momentos de ofertório o momento mais importante do culto e nem do dinheiro o deus e a confiança maior da igreja. Trabalha a parte financeira da igreja com dignidade, ética e transparência.

 

8- O que não tem medo de ensinar profundamente a Bíblia às suas ovelhas = Esse pastor não faz doutrinas em cima de textos isolados da Bíblia, por isso, não tem medo de ensinar suas ovelhas a serem questionadoras, estudantes profundas da Bíblia. Ele tem porta aberta ao diálogo e aos questionamentos. Por isso, os cultos que preside são banquetes de aprendizado e quebrantamento, onde a Palavra de Deus reina soberana como fonte de ensino e a regra de fé e prática. Por ser assim ele sabe que precisa sempre beber dessa fonte para também poder dar de beber cada vez mais aos seus discípulos.

 

9- O que ora sempre buscando em seus pedidos que seja feita a vontade de Deus em primeiro lugar = Esse pastor não ousa sequer pronunciar palavras de ordem a Deus. Ele sabe quem é Deus, sabe de Seus atributos grandiosos. E mais, sabe exatamente que ele é apenas um homem imperfeito, que está de pé pela graça de Deus. Por isso, em suas orações ele é dependente de Deus e não o chefe de Deus.

 

10- O que tem cheiro de ovelha = Esse pastor é pastor que pastoreia de verdade. A sua missão de vida é pastorear e não fazer fortuna com o rebanho vendendo suas peles e carnes! Chegue perto dele e sentirá o cheiro das ovelhas. Isso porque ele fica muito perto, ele acompanha, ele se preocupa com elas. Ele as ama de verdade, mesmo que elas não tenham nada para dar-lhe em troca. Ele as acolhe, ele cumpre seu trabalho cabalmente como bom trabalhador que não tem de que se envergonhar.

 

E VOCÊ, TEM ALGUM PASTOR QUE RESPEITA E ADMIRA?

Maus líderes existem aos montes dentro das igrejas. O joio está espalhado dentro da igreja como ensinam as escrituras (Mt 13. 26). Isso não é novidade para ninguém. Apesar de designar aqui o termo “pastores” a essas pessoas que citarei abaixo, não tenho a intenção de diminuir aqueles que fazem jus a esse termo tão lindo mostrado nas escrituras, e que realmente pastoreiam de coração as ovelhas do Senhor. Usei esse termo somente para facilitar a identificação dessas pessoas.

 

OS DEZ PASTORES QUE NÃO RESPEITO E NÃO ADMIRO:

 

1- O que faz do púlpito um palco de shows = A exposição da Palavra é esquecida e substituída pelo talento hollywoodiano desse pastor, que explora as mais diversas técnicas para cativar os seus expectadores, fazendo do show o protagonista do culto. Ele é a estrela e não Cristo e Sua palavra. Seu púlpito é lugar de entretenimento, de show, e não de pregação, de transmissão da voz de Deus.

 

2- O que explora financeiramente as ovelhas = Esse pastor é muito ambicioso e tem planos de crescimento. Porém, para a realização dos seus planos, precisa de muito dinheiro. E esse dinheiro é retirado das ovelhas, através das mais diversas técnicas de extorsão (legais) – e algumas vezes ilegais e antiéticas. Ele não liga para o que a Bíblia ensina e inventa formas de arrecadação para realizar seus sonhos megalomaníacos. As ovelhas são iludidas, exploradas e sugadas até a última gota que podem dar.

 

3- O que insiste em querer fazer a agenda de Deus = Um pastor que quer determinar lugar, dia e hora para Deus agir não merece meu respeito. Segunda-feira: Deus age na família; terça-feira: nas finanças; quarta-feira: Deus dá o Espírito Santo; quinta-feira: Deus faz conversões e sexta-feira: Deus liberta as pessoas de demônios. Deus agora está preso em uma agenda criada pelo homem? Para esse pastor, Deus deve adequar-se à sua programação semanal.

 

4- O que ilude as pessoas com amuletos, objetos ungidos e unções que não vêm de Deus = Esse pastor escraviza pessoas em crendices e superstições que não são encontradas e ordenadas na Bíblia. Desvia a fé que deveria ser unicamente no Deus soberano para objetos e unções – falsas – e extravagantes. Trabalha com a ilusão, com a ambição, com a falta de conhecimento de muitas das ovelhas que lhe ouvem. É um ilusionista do púlpito!

 

5- O que “profetiza” o que Deus não mandou profetizar = Usa sua influência sobre as pessoas para “profetizar” e “revelar”. Porém, não usa a Bíblia, que é a revelação e é onde se encontram as profecias de Deus para a vida de seus servos. Lança profecias das mais variadas para as pessoas. Normalmente suas profecias são absurdas e vazias, porém, a cegueira e falta de conhecimento das pessoas sobre a Palavra de Deus, abre portas para que essas “profecias” sejam cridas como verdade.

 

6- O que faz com que seus fieis o adorem = Ele é visto como um semideus pelos seus fieis. Ele é o poderoso, ele faz milagres e sinais acontecerem, ele é o rei e o centro dos cultos. O pior de tudo é que não faz nada para mudar essa situação, pois adora ser paparicado, adora status, adora demonstrar seu grande “poder” e ser ovacionado pela multidão. Seu prazer é ver multidões afluindo em sua direção com desejo de glorificá-lo. Não prega para pouca gente, só aparece quando tem pessoas suficientes para massagear seu ego insuflado.

 

7- O que usa o dinheiro das ofertas para seu próprio enriquecimento = Esse pastor-empresário é formado e pós-graduado em enriquecimento usando a igreja. Tem fortuna e bens luxuosos, tudo adquirido com a ajuda das ofertas dos membros de sua igreja e de quem mais querer ajudá-lo a “evangelizar”. Segundo ele diz, todo o dinheiro das ofertas é usado para a obra de Deus, porém, seu patrimônio o acusa. Ele engana multidões – e babacões – que bancam sua vida de ostentação e riqueza, pois não podem questionar a palavra do todo poderoso líder.

 

8- O que prega a teologia da prosperidade = Um pastor que diz que pobreza é maldição, que o crente verdadeiro será reconhecido pela sua prosperidade material, e outras abobrinhas sem embasamento bíblico, não merece admiração. Se a teologia da prosperidade é um câncer como alguns dizem, esse pastor é um espalhador de doenças no meio do povo.

 

9- O que usa versículos isolados da Bíblia para fundamentar doutrinas destruidoras = Esse pastor adora inventar doutrinas usando versos bíblicos isolados, cuja interpretação isolada, sem considerar contextos e outras boas regras de interpretação, favoreçam seus pensamentos e desejos. É um manipulador ardiloso dos textos sagrados, visando unica e exclusivamente que a Bíblia se enquadre em seus pensamentos e planejamentos.

 

10- O que [acha] que determina a ação de Deus = É uma piada dizer que um homem determina algo ao Todo-Poderoso, mas essa ousadia acontece. Palavras ousadas saem da boca desse pastor, que ora determinando, ordenando, exigindo que Deus faça determinadas coisas que, segundo ele, Deus tem de fazer. Coitado, não tem nem noção da besteira que faz! E o pior: ensina as pessoas a agirem também assim!

 

NÃO POSSO ADMIRAR E RESPEITAR PASTORES COMO ESSES

**********************************************************